A entrada no mundo da escrita

thumb-membro

Miguel Mata Pereira

Psicólogo Educacional
"O objetivo deste paper é propor uma revisão crítica acerca da forma como as crianças entram no mundo da escrita"

Publicado a 26 Fevereiro 2013 em Educação e Cultura

Resumo

Neste paper propomos ao leitor uma reflexão crítica sobre a forma como a criança entra no universo da linguagem escrita, destacando os principais desafios que tem de enfrentar, as suas conceções e ideias originais sobre o que é a linguagem escrita e sua funcionalidade, como se relaciona a escrita com a oralidade, as características do alfabeto e dos códigos de escrita alfabéticos, a história evolutiva das conceções sobre a escrita, e o modo como a criança ativamente vai construindo o seu próprio percurso de aquisição e desenvolvimento da linguagem escrita.

 

A versão integral deste paper está disponível apenas em Português. 

Participe na discussão

O Contraditório confere a todos os utilizadores o direito de acederem, rectificarem e eliminarem os respectivos dados pessoais. Os dados recolhidos destinam-se apenas à identificação do autor da mensagem.


Código de validação

Comentários (2)

  • Mariana Beija 23 Março 2013, 10:38 GMT
    Excelente estudo! Achei interessante a perspectiva que as crianças são capazes de inventar a sua própria linguagem escrita como mnemónicas.
  • Luís Faria 7 Março 2013, 15:49 GMT

    Sem ser especialista na área, chamou-me particular atenção a seguinte ideia:

    "Subjacente às trocas comerciais esteve o registo dos produtos e das quantidades envolvidas nas transações. Estes registos muito primários e altamente funcionais poderão estar na génese da invenção cultural da escrita", pp. 6-7.

    Um excelente exemplo de como a ordem espontânea não é sinónimo de caos – as línguas que falamos, as culturas em que vivemos e a emergência da lei ou da economia enquanto um todo são o produto da acção humana, e não da concepção humana.

    As instituições sociais são produto das acções voluntárias de indivíduos, com a sua liberdade natural, experiência e acções humanas coordenadas.