Da indisciplina à austeridade: O crescimento como estratégia de saída

thumb-membro

Luís Faria

Investigador e Presidente do Contraditório
"Portugal precisa de uma estratégia de consolidação orçamental baseada em reformas credíveis que permitam aumentar a produt"

Publicado a 10 Julho 2010 em Economia e Finanças

Resumo

Portugal precisa de uma estratégia de consolidação orçamental baseada em reformas credíveis que permitam aumentar a produtividade e o crescimento. Pelo contrário, assistimos à inconsequente implementação de pacotes de austeridade sem quaisquer impactes no longo prazo.

Na União Europeia sucedem-se as medidas de austeridade e ganha peso a ideia de que só um “governo económico europeu” poderá salvar a Europa. Os desafios que se colocam a uma União Europeia envelhecida são incontornáveis.

Perante a crise da zona euro, e ao contrário do que aconteceu com a crise financeira, seria bom que os governos actuassem sobre as suas causas e não sobre os sintomas.

Estas são algumas das questões com que Portugal e a União Europeia se defrontam e que nos propomos analisar ao longo deste trabalho.

Depois da introdução fazemos uma breve análise dos resultados da adesão de Portugal ao euro e das razões que colocaram o país na situação em que se encontra hoje. Nos capítulos seguintes são abordados alguns dos desafios que se colocam a Portugal e à União Europeia, entre os quais a inevitabilidade de promover um crescimento económico sustentável e as consequências da eventual criação de um “governo económico europeu”. Finalmente, apresentamos algumas recomendações de política económica e a conclusão.

Participe na discussão

O Contraditório confere a todos os utilizadores o direito de acederem, rectificarem e eliminarem os respectivos dados pessoais. Os dados recolhidos destinam-se apenas à identificação do autor da mensagem.


Código de validação