Aprendizagem ao longo da vida: O Programa “Educação e Formação 2010”

thumb-membro

Miguel Mata Pereira

Psicólogo Educacional
"Uma das principais mudanças operadas no final do século passado foi o fim do conceito de emprego para toda a vida"

Publicado a 17 Março 2010 em Educação e Cultura

Resumo

A ideia de que vivemos numa polis norteada pelo Conhecimento e Informação é um lugar-comum, reconhecido pela maioria dos cidadãos. Porém, muitas questões permanecem por debater à medida que tentamos tornar esta concepção numa realidade quotidiana. Um dos debates actuais centra-se sobre a problemática das competências que os cidadãos europeus deverão adquirir no âmbito da sua educação escolar e formação inicial e contínua, de forma a poderem agir a sua cidadania e contribuírem para a inovação e mudanças societais, renovando os valores da democracia, da participação cívica e da responsabilidade social.

Desde a década de 90 do século passado que diferentes especialistas têm vindo a reflectir sobre esta temática, enfatizando o facto dos conhecimentos adquiridos na formação escolar e académica não estarem adequados às reais necessidades quotidianas dos cidadãos, não lhes permitindo solucionar os seus problemas e distanciando-os da vida política e dos processos de decisão democrática para os quais todos somos convocados.

Pretendo com este artigo retratar e analisar o trabalho desenvolvido em torno das políticas para a aprendizagem ao longo da vida no contexto do Programa Europeu “Educação e Formação 2010”.

Participe na discussão

O Contraditório confere a todos os utilizadores o direito de acederem, rectificarem e eliminarem os respectivos dados pessoais. Os dados recolhidos destinam-se apenas à identificação do autor da mensagem.


Código de validação