Estratégia de saída para Portugal

thumb-membro

Luís Faria

Investigador e Presidente do Contraditório
"Ouvimos dizer que os “bons tempos” não duram para sempre, mas actualmente em Portugal as pessoas perguntam se o mesmo se aplica aos “maus"

Publicado a 11 Abril 2011 em Economia e Finanças

Ouvimos dizer que os “bons tempos” não duram para sempre, mas actualmente em Portugal as pessoas perguntam se o mesmo se aplica aos “maus tempos”. 

Portugal precisa de criar as condições necessárias para promover o crescimento de longo prazo e para afastar as perspectivas sombrias que pairam sobre o país. Portugal tem de implementar as necessárias reformas estruturais e, simultaneamente, políticas pró-crescimento. Esperemos que quando esse momento chegar Portugal ainda tenha quem assuma riscos e que saiba em que mundo vivemos.

Participe na discussão

O Contraditório confere a todos os utilizadores o direito de acederem, rectificarem e eliminarem os respectivos dados pessoais. Os dados recolhidos destinam-se apenas à identificação do autor da mensagem.


Código de validação

Comentários (1)

  • francisco rebello de andrade 23 Abril 2011, 1:06 GMT

    A minha opinião é que, regra geral, as mudanças estruturais necessárias que têm que ser feitas estão identificadas. O grande problema está na incompetência política que continuamos a assistir impávidos e serenos (incluindo eu confesso). Enquanto tivermos um sistema político que promove tão facilmente tanta mediocridade, podemos ter tudo muito bem identificado que não nos leva a lado nenhum. Percebo pouco de Ciência Política e, por acaso, nunca foi disciplina que me atraísse. No entanto, tenho-me convencido cada vez mais de que a raiz dos nossos problemas se encontra aí.